Como desodorantes afetam sua axila (e até seu humor)?

5 min. leitura

 

A gente encontrou fatos bem curiosos sobre uma coisa que quase todo mundo faz (mais de uma vez por dia) e nem se dá conta: usar desodorante/antitranspirante passou a ser tão corriqueiro que vc nem para pra pensar o que isso está causando na sua axila, no seu corpo e nas suas roupas.

Vc acorda, toma banho, passa desodorante. Durante o dia, suou, aplica de novo. Vai dormir, toma banho, e passa mais uma vez. Assim como aprendemos que lavar roupa é o único jeito de deixar ela limpa, alguém ensinou que passar desodorante é o único jeito de ficar cheiroso - ou de não ter cheiro ruim debaixo do braço (se com vc foi diferente, vc é sortudo e pode contar pra gente como foi!).

Curiosidades nesse post:

    1. Odores corporais: está tudo bem com sua axila!
    2. O cheiro da sua axila diz muito sobre vc


Odores corporais: está tudo bem com sua axila!

"O antebraço está seco como o deserto. O couro cabeludo é arejado como um bosque. E então, a axila: uma verdadeira floresta tropical". Mary J. Marples


Dias longos e corridos fazem a gente transpirar, mas isso
não significa que o suor tem um mau cheiro (infelizmente fomos levados a acreditar que sim!). Como um lugarzinho quente e úmido, a axila é a casa de centenas de milhões de bactérias - existem mais bactérias em nossa axila do que humanos no planeta (parece assustador né?! Mas não é se vc começar a interpretar o seu cheiro natural!).

Em meio a esses milhões de bactérias, nem todas são ruins - vc tem bactérias que seu corpo precisa pra funcionar direitinho, o importante é o que vc faz pra se proteger contra as que causam o mau cheiro. Vc pode mascarar o cheiro usando mais desodorante, pode “interromper” o suor com o antitranspirante, pode tentar botox, etc, mas nenhuma dessas opções é skin-friendly. E é por isso que o foco do Visto.bio é te ajudar nessa proteção contra as bactérias ruins que impregnam na roupa e fazem ela ficar fedida, através de uma fórmula que não prejudica seu corpo nem o planeta. A ideia é vc incluir o spray - que é 100% natural e biodegradável - como aliado na prevenção (e não remediação!) contra fungos e bactérias pra começar a reduzir o uso de produtos com química agressiva, como os antitranspirantes.

Vc pode comprar Visto.bio agora! →


O
Chris Callewaert (Universidade de San Diego/Califórnia), conhecido como Dr. Armpit, descobriu que a cada vez que vc usa um antitranspirante, vc multiplica a diversidade de bactérias na sua axila - e não tem como saber se elas são prejudiciais ou não, afetando diretamente o seu microbioma (conjunto de bactérias, vírus e fungos que compõem o organismo). Substâncias como propilenoglicol são usadas em grande quantidade nesses produtos pra deixar a pele com aparência macia, mas ao mesmo tempo esses polímeros causam dermatite porque ficam na pele por semanas mesmo depois do banho diário, causam envelhecimento e até doenças.

Assim, a redução de uso de produtos com ingredientes agressivos é um novo hábito que a gente precisa adotar: o resultado de usar demais é, ao invés de transpirar sem deixar cheiro, vc passa a produzir mais bactérias ruins (que se multiplicam facilmente e tomam conta da axila), aumentando a intensidade do mau odor.

 

 


O cheiro da axila diz muito sobre vc

Vc sabia que seu suor pode sugerir medo, nojo e felicidade - ou seja, tem tudo a ver com seu humor? Ou que o odor natural pode indicar que algo está errado, tipo infecções e até mesmo câncer? Vc pode olhar pra axila como uma impressão digital - cada um tem a sua, e com a impressão de odor não seria diferente. Então ficar atento aos “sinais” que a axila mostra é essencial não apenas pra saber se está com cheiro ruim, mas pra entender o funcionamento do seu corpo. Olha o que mais descobrimos com Dr. Armpit:

Fato curioso 1: sabe-se que as corinebactérias causam mau cheiro na axila, enquanto os estafilococos não. Comparando mulheres e homens, a axila feminina tem mais estafilococos, e as masculinas abrigam mais corinebactérias por eles terem uma pele mais espessa e um suor com mais substâncias gordurosas (alimento preferido desse tipo de bactéria!).

Fato curioso 2: normalmente, a sua axila direita é diferente da axila esquerda, e nos estudos do Dr. Armpit, foi constatada essa diferença entre as “comunidades” de bactérias em cada braço. O resultado disso? Vc pode sim ter cheiros de intensidade diferentes nas duas axilas, interessante né?! Usando Visto.bio e fazendo aquele teste comparativo que a gente sugere de separar e cheirar suas peças, vc consegue saber se elas ainda continuam protegidas e sem cheiro ruim pra serem usadas de novo.

 

 

 

 

Uma das conclusões do estudo é bem promissora: os participantes que pararam de usar os produtos químicos, ou pelo menos diminuíram a frequência, conseguiram voltar pra um estágio bem próximo do microbioma natural da axila. Assim o corpo volta a ser capaz de continuar transmitindo muitas informações importantes através do seu cheiro real. E a gente deixa aqui uma perguntinha pra vc refletir se faz sentido na sua rotina: usamos desodorantes e antitranspirantes pra tentar acabar com o mau odor, mas qual o custo dessa luta contra o que nosso próprio corpo está dizendo?

 

Leituras complementares

Pesquisas do Dr. Armpit
Efeito do uso habitual e experimental de produtos antitranspirantes e desodorantes no microbioma da axila
- Caracterização de aglomerados de Staphylococcus e Corynebacterium na axila humana

 

Sobre o autor: Renan Serrano
Possui 10 anos de experiência em tecnologia têxtil e já estudou até no Japão. Com trajetória em marcas de moda internacionais, percebeu que poderia ajudar a deixar o mundo um pouco melhor do que quando chegamos, por isso fundou o Visto.bio.